Município

A+ A A-

Apresentação da obra “Como eu Atravessei África”, de Serpa Pinto

Classifique esta informação
(0 votos)

A Câmara Municipal, no âmbito da candidatura “Cultura Para Todos”, reeditou a obra “Como eu Atravessei África”, da autoria do ilustre explorador cinfanense, Alexandre de Serpa Pinto, cuja primeira edição remonta ao ano de 1881. A apresentação do livro aconteceu no dia 12 de novembro, na Biblioteca Municipal e contou com casa cheia.

A apresentação esteve a cargo de Tomás Pinto Bravo, um jovem licenciado em História pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e no momento aluno do Mestrado em História da Igreja na Faculdade de História e Bens Culturais da Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma. Natural de Tavira, Tomás Pinto Bravo tem raízes familiares em Cinfães e dedicou-se à investigação biográfica de Alexandre de Serpa Pinto tendo preparado uma antologia, que será lançada em breve, da correspondência relativa às campanhas de África de Serpa Pinto.

A obra agora reeditada junta, pela primeira vez, num só livro, os dois volumes: “A Carabina d’El Rei” e “A Família Coillard”. Trata-se de um obra sem pretensões literárias e que, nas palavras do seu autor, pretende ser apenas a fiel reprodução de um diário de viagem. Alexandre de Serpa Pinto, depois de ter participado em várias expedições, foi nomeado para fazer parte da expedição portuguesa ao centro de África em 1877,  tendo atingido o Rio Zambeze em 1878 e completado a travessia em 1879. Desta deixou este notável relato  com o título “Como Eu Atravessei a África”, que contribuiu para o conhecimento do continente africano e para o prestígio internacional de Portugal no contexto das nações imperiais da segunda metade do século XIX.

A sessão de apresentação foi abrilhantada pelos alunos Tiago Andrade, Lucas Cardoso, Maria Esteves e Maria Abrantes da Academia d’Artes de Cinfães com vários momentos musicais que fizeram as delícias dos presentes.

Ainda no âmbito da candidatura “Cultura para Todos”, no dia 3 de dezembro, será feita uma recriação teatral desta obra e que terá lugar no Auditório Municipal de Cinfães com encenação a cargo do grupo Teatro Vai Avante.